Deus nos manda perdoar e abençoar, mas se a agressão continuar que fazemos?

Muitas pessoas que passaram por crises em seus casamentos escolhem, em obediência a Deus, perdoar e abençoar seu cônjuge abusivo, mas freqüentemente o agressor ataca seu cônjuge novamente e reacende a dor e a frustração. O que fazer?

O agressor é a pessoa que abusa emocionalmente do cônjuge, que o magoa, ofende constantemente, tenta controlá-lo, oprime-o com a sua atitude, marginaliza-o na tomada de decisões em casa, etc.

I Pedro 3: 8-9: Em suma, todos sejam da mesma opinião, compassivos, amando-se fraternalmente, misericordiosos, amigos. Não retribuam mal com mal, nem maldição com maldição, mas, pelo contrário, bênção, sabendo que foste chamado a herdar bênção,

Deus nos manda perdoar até 70 vezes sete, ou seja, sempre e também abençoar nosso ofensor. Apesar da decisão de perdoar e abençoar, isso não força o cônjuge ofendido a permanecer exposto para continuar a receber o abuso.

Se o agressor não se arrepender verdadeiramente e se apegar a fortalecer sua vida espiritual, ele continuará a cair na mesma fraqueza. Então essa pessoa deve ser colocada em um limite, mantendo-a à distância e motivando-a a buscar a ajuda necessária para que possa mudar sua atitude agressiva e abusiva.

A maioria das pessoas que têm essa tendência abusiva viveu experiências que programaram sua mente para reagir assim e o que elas precisam é de ajuda profissional e espiritual para serem capazes de curar suas mentes e serem capazes de mudar sua programação negativa para uma atitude de amor, bondade e fidelidade.

Normalmente, ambos os cônjuges ficam muito magoados após uma crise e precisam passar por um processo de limpeza emocional, cura interior e inteligência emocional bíblica para que possam ser restaurados solidamente e retornarem ao relacionamento com a certeza de que serão capazes de ter um casamento saudável.

A duração desse processo dependerá da maturidade espiritual de cada cônjuge e da qualidade da ajuda que eles possam obter para resolver sua situação. A grande maioria dos casos que buscam ajuda oportuna e com conselheiros qualificados conseguem restaurar e fortalecer o relacionamento para sempre.

Biblicamente, o divórcio não ocorre, mas em alguns desses casos uma separação temporária é necessária para tratar ambos separadamente em seu processo de restauração até que, a critério do pastor e do terapeuta, eles estejam prontos para retornar e manter a nova atitude de inteligência emocional. Bíblico.

Se você experimentou ou está experimentando crise em seu casamento e algum tipo de abuso físico ou emocional, procure ajuda qualificada, contate seu pastor ou líder espiritual para avaliar seu caso e orientá-lo. Prepare-se para trabalhar no seu caso imediatamente, antes de chegar a um ponto sem volta!

Para Cristo nada é impossível, mas temos que fazer nossa parte e permanecer espiritualmente conectados ao Senhor com a orientação correta.

Seu casamento e sua família são o tesouro mais valioso que Deus lhe deu. CUIDE DELE!
Luis e Hannia Fernandez
www.libresparaamar.org
[email protected]