A raiva passou a representar muitos sentimentos fortes e negativos nos seres humanos. (Esgotamento excessivo, vergonha excessiva, frustração excessiva, rejeição).

Nem tudo o que é classificado como raiva é uma violação da lei de Deus. Efésios 4:26 diz: Irai-vos, mas não pequeis, o que mostra que há uma diferença entre emoção intensa e hostilidade furiosa que é persistentemente condenada na Bíblia.

A raiva não é apenas algo emocional, mas também bioquímico.

Nossa reação ao sentimento de raiva é mais intencional e sensível ao controle de nossa vontade. Quando repetimos o evento perturbador continuamente, em nossas mentes, e procurando oportunidades de retaliar ou explodir de raiva, cruzamos a linha e entramos no que é pecaminoso.

A Bíblia fala de autodomínio e, dependendo do temperamento individual, alguns farão melhor do que outros, mas temos a ajuda do Espírito Santo que nos guia ternamente na direção que ele requer.

A raiva inaceitável é o que nos leva a magoar o nosso próximo. Estamos caminhando em terreno perigoso quando nossos pensamentos e ações começam a nos guiar para uma atitude de ódio. Nem mesmo a defesa do Senhor Jesus Cristo justificaria esse tipo de agressão.

E. Stanley Jones declarou que um cristão tem mais probabilidade de pecar por suas reações do que por suas ações. Jesus disse: vamos dar a outra face, sabendo que Satanás pode fazer uso devastador da raiva em uma vítima inocente. Ele também disse em Mateus 5:22 Qualquer pessoa que ficar com raiva de seu irmão será condenada. A raiva pecaminosa pode ocorrer dentro da mente, embora nunca apareça no comportamento.

Devemos harmonizar as descobertas psicológicas de que a raiva deve ser exalada com a ordem bíblica de que devemos "demorar para nos irritarmos". Deus

Ele não quer que suprimamos nossa raiva enviando-a para o banco de memória sem tê-la resolvido.

Algumas maneiras de agir ao controlar a raiva:

Faça do problema que nos irrita um motivo de oração.

Explique nossos sentimentos negativos a uma terceira pessoa, que é madura e compreensiva, que pode nos aconselhar e orientar.

Vá até a pessoa que nos ofendeu e mostre-lhe um espírito de amor e perdão.

Perceba que não há ofensa que alguém nos faça que possa ser igual à nossa culpa diante de Deus, e ainda assim ele nos perdoou; Não somos obrigados a mostrar a mesma misericórdia aos outros?

Quando controlamos a raiva, retribuímos com bondade em vez de hostilidade. Jesus disse: "Já ouviste o que foi dito: Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo. Mas eu te digo: ame seus inimigos, abençoe aqueles que te amaldiçoam, faça o bem àqueles que te odeiam e ore por aqueles que abusam de você e perseguem. Mt. 5: 43-44.

Graças a Deus, temos emoções e podemos ficar com raiva, mas além dessas emoções e da liberdade que Deus nos dá para sermos nós mesmos, ele proveu por meio de Jesus Cristo o autocontrole para sermos sábios ao lidar com a raiva.

"Irai-vos, mas não pequeis, não permitais que o sol se ponha sobre a vossa ira e não deis lugar ao diabo ”Efésios 4:26.

Não estamos sozinhos, temos a ajuda do Espírito Santo que nos ajuda neste assunto: Administrar a raiva.

Deus te abençoe,

Sua irmã e amiga,

Alva Vargas de Contreras.

www.alvadecontreras.com