A atitude de pedir perdão e perdoar é uma atitude que cura, liberta e restaura poderosamente.

Precisamos do poder do perdão para obter a paz de que precisamos em nossa vida.

Os seres humanos vivem muitas circunstâncias na vida e frequentemente estamos imersos em dramas e emoções que alteram nossa vida e nos afetam em muitas áreas.

Muitas dessas circunstâncias nos causam dor e frustração. Às vezes, somos nós que causamos dor e sofrimento a outras pessoas. As pessoas com quem estamos mais expostos a magoar e ser magoados são as que estão mais próximas de nós, começando pelo cônjuge, filhos e família. A verdade é que é impossível nesta vida não se machucar ou se machucar. Essa realidade afeta todos os seres humanos, alguns mais do que outros; mas no final todos sofremos.

As ofensas são vetores venenosos que atacam a pessoa e depositam nela uma quantidade de frustração, rejeição, ressentimento, dor e vingança. Se esse veneno não for removido do sistema emocional da pessoa ferida; essa pessoa será influenciada por esses sentimentos negativos que a levarão a se rebelar e a se preparar para a vingança ou depressão severa.

Tiago 3: 2 Todos nós ofendemos muitas vezes. Mateus 6:14 e 15 Portanto, se perdoares aos homens as suas ofensas, o teu Pai celestial também te perdoará; mas se você não perdoar os homens de suas ofensas, nem mesmo seu Pai perdoará suas ofensas. É evidente que todos os seres humanos ofendem muitas vezes e muitas delas inconscientemente; mas a instrução de Deus é absolutamente obrigatória: devemos perdoar sim ou sim. Deus não nos dá outra opção.

Mateus 18: 21-22 Pedro aproximou-se dele e disse-lhe: "Senhor, quantas vezes perdoarei ao meu irmão que pecar contra mim?" Até sete? Jesus disse-lhe: Não te digo até sete, mas até setenta vezes sete. A segunda instrução é que devemos sempre perdoar, isto é, perdoar deve ser uma atitude, um estilo de vida. Se a natureza humana tem fraqueza para ofender muitas vezes, precisamos desenvolver uma atitude de perdão porque essa atitude é o reflexo de Jesus Cristo, o filho de Deus.

ELE veio para nos ensinar a perdoar incondicionalmente e até a morte. Portanto, precisamos decidir imitá-Lo para que nossa vida seja fortalecida e amadurecemos espiritualmente. Não é fácil, mas é possível. É por isso que a palavra de Deus nos diz: tudo posso naquele que me fortalece (Fp: 4:13)

No mundo de hoje podemos ver mais do que nunca na história da humanidade uma banda humana a cada dia mais cheia de rancores, ódio, tristeza e depressão. Precisamos do poder do perdão. A única forma de obter esse nível de perdão está ligada à fonte do perdão: Cristo Jesus, por meio de um relacionamento próximo com Ele, buscando Sua presença todos os dias, lendo Sua palavra, frequentando a Igreja e tomando a decisão de obedecê-Lo incondicionalmente. Então, o poder do perdão e aquela paz que ansiamos virão até nós.

Se você precisa do poder do perdão, comece pedindo perdão a Deus por guardar rancor e endurecer seu coração. Existem coisas que são muito difíceis de perdoar, porém o mandato é incondicional, pois é a única forma de obter a paz de que precisamos. Assim que estivermos livres do ressentimento, podemos lidar com os problemas de uma maneira diferente e mais edificante.

Tome a decisão hoje de viver uma atitude de perdão com seu parceiro. Não há mais dúvidas de sua natureza imperfeita. Tome a decisão de se conectar com Deus, perdoe da maneira de Deus e você terá paz da maneira de Deus. Se você não consegue perdoar, busque o apoio de um líder espiritual treinado, mas não fique com o veneno porque ele é mortal e vai matar você e as pessoas ao seu redor. Para perdoar à maneira de Deus, você deve falar com cada uma das pessoas que o ofenderam e expressar sua dor com o único propósito de perdoar e curar. Se a pessoa não existe mais, faça-o com o seu pastor ou líder espiritual.

E faça isso logo. Quanto mais cedo você remover o veneno do organismo, mais cedo receberá a paz e a prosperidade que tanto deseja.

Seu casamento e sua família são o tesouro mais valioso que Deus lhe deu. Cuide dele!

Luis e Hannia Fernandez

[email protected]
www.libresparaamar.org